O MERCADO DE TRILHA SONORA NO CINEMA INDEPENDENTE

O cinema independente no Brasil, vem ganhando espaço e vem conquistando os profissionais da comunicação a se aventurarem pelo mundo do audiovisual.

Os avanços na tecnologia, e a quantidade de produtos eletrônicos e novas mídias, têm crescido assustadoramente, e se popularizando. Com isso, áreas como direção de cinema, arte, pós-produção, captação de som, design e direção de fotografia tem conquistado o mercado, aumentando assim, a competitividade entre seus profissionais em cada área especifica, exigindo assim, maior competência dos profissionais na praça.

Já o mercado de trilhas sonoras, ainda é pouco explorado, principalmente no cinema independente. Primeiro, porque o polo industrial de cinema no geral, está nos EUA. Também, ainda é recente, no que se refere à música brasileira, compositores nacionais que se especializam em trilha sonora, para o mercado independente ou comercial de cinema.

No Brasil, poucos diretores se preocupam com a música inserida na narrativa como elemento dramático, o que torna necessário a contratação de um compositor para compor uma trilha inédita, respeitando o andamento dramático do filme, e usando os conceitos da psicoacústica para imergir o espectador através da música, no contexto da narrativa, além de poupar o expectador se se esforçar em se prender aos elementos dramáticos, como captar emoções e gerar expectativas com o propósito de deixar a narrativa mais intensa. 

No mercado independente brasileiro, há falta de profissionais, que criem e produzam música para filme, isso devido à baixa procura de diretores e produtores independentes, para poupar recursos ao investir em áreas que equivocadamente consideram mais importantes para a concepção do filme. A maioria desses trabalhos independentes, possui trilha com músicas de terceiros ja existentes, e raros os casos em que a trilha sonora é inédita ou em caso de terceiros mais raro ainda quando a mesma está em perfeita sincronia com o filme.

Antes, o processo de composição, era complicado e exorbitantemente caros. O compositor, geralmente criava os temas no piano e escrevia os arranjos para orquestra, necessitando assim, semanas de pré-produção, adaptando à partitura musical para a execução da obra sincronizada com os tempo do filme. Semanas de ensaio, meses de gravação.

Hoje em dia com um computador apenas, é possivel, criar e escrever idéias musicais em editores de partitura que reproduzem o que fora escrito, e então, gravar via MIDI através de um piano digital ou teclado controlador diretamente no computador, a partir de um software de gravação, utilizando samples e instrumentos virtuais, com uma qualidade absurda de timbres, articulações e dinâmicas, de instrumentos reais, bem realísticos.

Atualmente, isso pode ser feito em tempo real, já ajustando o andamento da música e as nuances, com o tempo do filme.

O que levaria meses, pode ser feito em poucos dias ou até horas, e também com custos centenas de vezes mais baixo.

Estúdio de trilha sonora

Mike Patti, é um compositor norte americano, criador do tema do “criança esperança”, criador de uma famosa marca de instrumentos virtuais “Cine Samples”, mostra um pouco do processo de criação . Veja o processo completo:

Criando e gravando um tema de ação de baixo custo:

https://www.youtube.com/watch?v=YkXxcFltjnU

Criando e gravando uma trilha sonora de alto custo:

https://www.youtube.com/watch?v=w7xqEY_ld3s

Ambos possuem muita qualidade, famosos compositores como Brian Tyler e Hanz Zimmer já aderiram à tecnologia.

Anúncios